Quem somos

Pertencemos às gerações de veteranos do Movimento Juvenil Dror do Brasil que emigramos a Israel motivados pela ideologia sionista de Herzl, Nordau e ideólogos sionistas-socialistas como Ber Borochov. De jovens não estávamos conformes em seguir o rumo da diáspora dos últimos dois mil anos. Adotamos  o postulado que nós, os judeus, somos uma nação (e não apenas religião), e necessitamos de um Estado próprio para sua sobrevivência. E não menos importante, continuamos convictos que devemos implementar e lutar pelos princípios estabelecidos na Declaração de Independência do Estado de Israel, ou seja a criação de um Estado baseado na liberdade, justiça e paz para todos seus habitantes.

Considerando que nossa vivência, ideologia e convicções são relevantes nos dias de hoje, decidimos, em 2007, formar uma ONG de voluntários para fazer eco desta cultura juvenil sui generis. Desde então realizamos uma série de eventos, publicamos dois livros ("Fragmentos de Memória " e "Ironias do Destino"). Em 2016, decidimos criar um site que permita o acesso livre a documentos relativos ao Movimento que se encontram em arquivos. Digitalizamos maisde 2000 documentos que estavam no arquivo do Kibutz Bror Chail, e os classificamos com a ajuda de voluntarios. 

O sucesso do projeto -que permitiu o acesso a companheiros, familiares e pesquisadores - nos incentivou a expandir o projeto, e em 2019 digitalizamos mais de 1700 documentos que estão arquivados no Museu Judaico de São Paulo - Centro de Memória   Judaica, e estamos no processo de classificação.

O site se expandiu, e além de documentos, conta com uma comunidade de bogrim cadastrados e a ONG que fundamos, agoracom o nome de Associação Dror, Ontem e Hoje , continua a organizar eventos e se encontrar com participantes do shnat em cada ano e colaborar com novos chegados a Israel.

E agora partimos para outra aventura - pretenciosa, ambiciosa e muito provável gratificante para todos nós. Se trata do projeto Chalutzim Brasileiros, cujo propósito é documentar a contribuição de oriundos de todos os movimentos Juvenis do Brasil  à Sociedade Israelense como individuos e ao mapa de colonização  do Estado. 

Nos últimos anos foram publicados vários trabalhos de pesquisa sobre Movimentos Juvenis que atuaram em vários países do globo. O Movimento do Brasil se conta entre os menos pesquisados, assim que esperamos que este site venha contribuir a reduzir esta lacuna.

Movimentos Juvenis e sua cultura carecem de renovação de memória, especialmente no Brasil, apesar que milhares vivenciaram esta experiência. Nós queremos desafiar este paradigma. No entanto, isto sómente será possível se você participar. Há sonhos que se realizam, este será um deles.

Divulgue a mensagem